sexta-feira, setembro 25Notícias Importantes
Shadow

Doleiro afirma que entregava dinheiro para a família Marinho, dona da Rede Globo

Afirmação consta na delação premiada de Dario Messer

rede globo - família marinho - doleiro - dario messer

Sede do jornalismo da Rede Globo no Rio de Janeiro | Foto: REPRODUÇÃO/GOOGLE STREET VIEW

Entregas mensais que iam de US$ 50.000 a US$ 300.000 feitas para integrantes da família Marinho em plena sede do jornalismo nacional da Rede Globo de Televisão, no Rio de Janeiro. Essa é a acusação que consta na delação premiada do doleiro Dario Messer homologada nesta semana pela Justiça Federal fluminense.

Leia mais: “Bolsonaro corta verba da Globo em 60%”

Conforme noticiado por Oeste, o conhecido “doleiro dos doleiros” se comprometeu a devolver R$ 1 bilhão à máquina pública. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), Messer, que é réu no âmbito da Operação Lava Jato, atuava para partidos políticos. O PT, por exemplo, seria uma das agremiações que faziam uso dos serviços.

Mas o próprio doleiro garante que sua área de atuação iria além da política. Isso porque diz que um de seus funcionários entregava dinheiro no prédio da Globo para alguém identificado como José Aleixo e teria, segundo Dario Messer, os irmãos Roberto Irineu Marinho e João Roberto Marinho como destinatários, informa o site da revista Veja. Tal acusação estaria no anexo 10 da delação premiada.

Quem são os citados?

Ao lado de José Roberto Marinho, Roberto Irineu Marinho e João Roberto Marinho são os atuais donos do Grupo Globo, conglomerado de mídia que, entre outras marcas, controla a Rede Globo de Televisão.

Na página virtual do projeto Memória Globo, José Aleixo é citado como alguém que é colaborador da empresa desde 1966. Foi assessor financeiro do criador da emissora de TV, Roberto Marinho, e em 2006 assumiu o cargo de assessor financeiro da vice-presidência.

Em nota, os representantes dos irmãos da família Marinho negam as acusações registradas na delação do doleiro Dario Messer.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES: “A operação que mostrou que todos são iguais perante a lei” — reportagem publicada na edição 21 da Revista Oeste

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *