domingo, maio 29Notícias Importantes
Shadow

China começa a bloquear o aplicativo de mensagens criptografadas Signal

China começa a bloquear o aplicativo de mensagens criptografadas Signal – Agora Notícias Brasil

O país, que vive sob domínio de uma única força política, tem histórico de reprimir a liberdade de expressão e  as garantias individuais dos seus cidadãos.

Na terça-feira passada, usuários do país começaram a relatar que não conseguem mais enviar ou receber textos pelo aplicativo Signal. O acesso ao site oficial do Signal também está fora do ar, de acordo com GreatFire.org, um site que rastreia a censura online do país.

A Signal não comentou o bloqueio, apesar do aplicativo ser um dos últimos serviços de mensagens estrangeiras ainda disponíveis na China. Ao longo dos anos, o país também bloqueou o acesso a WhatsApp, Telegram, Line, além de Facebook, Google e Twitter.

Em vez disso, os usuários locais precisam usar aplicativos feitos na China para conversar entre si, como o WeChat. Porém, recentes relatos mostram que os aplicativos disponíveis censuram o conteúdo e até espionam os textos dos usuários.

O Signal, por outro lado, fornece mensagens criptografadas de ponta a ponta, o que significa que o próprio Signal não pode ver suas mensagens, mesmo que o conteúdo trafegue por seus servidores.

O motivo do governo Chinês apenas começar a bloquear o app Signal agora ainda não está claro. Rumores indicam que em janeiro, o aplicativo Signal viu um aumento nos downloads de usuários na China assim que o CEO da Tesla, Elon Musk, encorajou seus seguidores a usar o aplicativo.

DRIBLANDO A CENSURA

Para contornar o bloqueio, os usuários terão que usar um serviço VPN. No entanto, a China também tem trabalhado para proibir o uso de VPN. Em 2017, a iOS App Store da Apple retirou inúmeros aplicativos VPN para cumprir as regulamentações chinesas.

Os usuários locais que procuram um serviço de mensagens estrangeiro ainda podem usar o iMessage da Apple no país. No entanto, a Apple tem armazenado dados iCloud dos clientes em servidores com base na China, permitindo que as autoridades chinesas obtenham acesso, se necessário.

Com informações da PCMAG


Botão Voltar ao topo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?