quarta-feira, maio 22Notícias Importantes
Shadow

Wagner Moura protagoniza 1ª derrota da campanha de Boulos

Ator aparece em vídeo exibido no horário eleitoral gratuito

wagner moura e guilherme boulos - justiça eleitoral

Wagner Moura apareceu como garoto-propaganda de Guilherme Boulos
Foto: Reprodução/Psol

Candidato a presidente da República que obteve somente 0,6% dos votos válidos em 2018, Guilherme Boulos já conta com revés nas eleições 2020. Nome do Psol para a prefeitura de São Paulo, ele viu a Justiça Eleitoral suspender na noite desta sexta-feira, 9, sua propaganda eleitoral por “culpa” do ator Wagner Moura.

Leia mais: “Covid-19 é ‘presente de Deus para a esquerda’, comemora Jane Fonda”

Levado ao ar no horário eleitoral gratuito, o vídeo produzido pela campanha socialista dá mais destaque ao ator do que ao candidato. Nos 17 segundos de duração, a peça de propaganda conta com texto narrado por Moura. O rosto do artista ainda aparece em trecho do material, no momento em que ele elogia Boulos e a vice da chapa, a ex-prefeita Luiza Erundina.

Responsável pela decisão que fala em “suspensão imediata” do vídeo, o juiz eleitoral Guilherme Silva e Souza, da 2ª Zona Eleitoral de São Paulo, entendeu que a legislação foi violada. Isso porque é proibido um apoiador aparecer mais do que o candidato em meio ao horário eleitoral na televisão. De acordo com a lei, um apoiador só pode ocupar 25% do tempo total de gravação.

“Presença de apoiador em aproximadamente a totalidade do tempo”

“A peça publicitária faz uso da presença de apoiador em aproximadamente a totalidade do tempo de exibição pertencente ao candidato, 16 segundos do total de 17 segundos”, afirmou o juiz. “Flagrante a violação à legislação eleitoral”, definiu o magistrado. Assim, ele acatou a representação feita por advogado da campanha de Joice Hasselmann, candidata à prefeitura de São Paulo pelo PSL.

Psol reclama

Integrante da equipe de marketing da campanha de Guilherme Boulos, Chico Malfitani contestou a decisão da Justiça Eleitoral. Apesar da argumentação do juiz, ele não viu Wagner Moura como protagonista da ação exibida na TV. “No nosso caso, o Wagner foi o locutor e a imagem que aparecia na tela era de Boulos e Erundina”, disse o marqueteiro ao site do jornal O Estado de S. Paulo. “Voltamos ao tempo da censura?”, questionou, dessa forma, o colaborador da campanha do Psol.

Oeste nas eleições 2020: Confira as últimas notícias sobre o assunto

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?