segunda-feira, janeiro 18Notícias Importantes
Shadow

PSOL quer que a Procuradoria investigue uma cartilha do governo Bolsonaro contra o uso da maconha

O PSOL quer que a Procuradoria-Geral da República investigue uma cartilha produzida pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos contra a maconha. A representação foi feita por Marcelo Freixo, deputado federal pelo Rio de Janeiro e um dos líderes do partido.

Marcelo Freixo, que é defensor da descriminalização das drogas, pediu ao órgão que apure se houve “improbidade administrativa, violação dos princípios da administração pública e malversação de recursos públicos para defender posição ideológica” para produzir a cartilha.

O material intitulado como “Os riscos do uso da maconha na família, na infância e na juventude”, apresentado como um trabalho técnico, chama a atenção para os supostos riscos acerca do uso da droga.

A publicação foi lançada durante uma live, realizada no dia 1º. Um dos convidados foi o secretário de Cuidados e Prevenção às Drogas, do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Jr.

“Além de o uso da maconha favorecer o uso de outras substâncias, não existe nenhum estudo científico que a maconha in natura pode ter efeito terapêutico”, disse o secretário, que é doutor em Psiquiatria pela Universidade de São Paulo (USP). Sobre a cartilha, ele explicou que a ideia foi “organizar um material baseado em evidências científicas, para que as questões ideológicas ficassem de lado. Afinal, o uso da maconha gera problemas de segurança pública, trânsito, educação, saúde, e problemas econômicos” — disse o secretário.

No decorrer de um evento online, Angela Gandra, Secretária Nacional da Família, apresentou o material como sendo técnico, no entanto, o texto cita como fontes apenas estudos científicos que dão suporte às suas afirmações, sem fazer qualquer alusão a trabalhos divergentes.

Nas redes sociais, a ministra Damares Alves, responsável pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comentou a ação do PSOL e afirmou que a esquerda a ama.

[embedded content]